Posts from the “Músicas e Vídeos” Category

The Brazilian Carnival IX – Pré-Carnaval

Posted on fevereiro 8, 2014

[PORTUGUÊS]

No Brasil, até a década de 1940, sobretudo no Rio de Janeiro, as festas pré-carnavalescas se iniciavam em outubro, na comemoração de N. Sra. da Penha, crescia durante a passagem de ano e atingia o auge nos quatro dias anteriores às Cinzas — sábado, domingo, segunda e terça-feira gorda. (Pesquisas Barsa)

As melindrosas, os pierrots, as colombinas e demais fantasias recorrentes do carnaval retornam as ruas. Com o Carnaval postergado para Março, tivemos o início do pré-carnaval aqui no Rio de Janeiro no final de semana passado. Oficialmente. Extraoficialmente, o pré-carnaval já começou há muito. Enquanto as Escolas de Samba não entram na Avenida, os blocos carnavalescos invadem as ruas em diversos lugares do país. Hoje em dia, mais do que samba e marchinhas, eles alcançam e satisfazem os mais variados públicos: roqueiros, feministas, saudosistas, amantes do cinema e por aí vai, provando que Carnaval é sim uma festa popular – um popular mais abrangente do que nunca! Deixe-me destacar dois dos blocos que, quando passarem, eu vou atrás!


[ENGLISH]

In Brazil, until the 1940‘s, especially in Rio de Janeiro, the pre-carnival celebrations were initiated in October, in celebration of Nossa Senhora da Penha, grew during the New Year and reached its peak in the four days prior to Ash – Saturday, sunday, Monday and Fat Tuesday. (Pesquisas Barsa)

The flappers, the pierrots and other recurring Carnival fantasies return to the streets. With Carnival postponed to March, today, here in Rio de Janeiro, we have the beginning of the pre-carnival in this last weekend. Officially. Unofficially, it has started already! While we wait the Samba Schools Parades, the carnival blocks take to the streets all over the country. Nowadays, more than samba and marchinhas, they reach the most varied audiences: rockers, feminists, nostalgics, cinema lovers and so on, proving that Carnival is a popular festival indeed – with a concept of “popular” wider than ever! Let me highlight two (for now) of the carnival blocks that you should know.

 

Bloco do Sargento Pimenta

[PORTUGUÊS]

Um dos mais criativos blocos de carnaval que já vi: o Bloco do Sargento Pimenta. Imaginem vocês, músicas dos Beatles com ritmo de samba. E não só! Em determinados momentos eu não sabia ainda estava no sudeste ou se estava em algum estado nordestino ou quiçá fui para a África sem saber. Adicionando ritmos como maracatu, reggae, funk e outros, as groupies, as vovós, as crianças… saíram do chão. Bloco do Sargento Pimenta, I Want Hold Your Hand por todo o Carnaval!


[ENGLISH]

One of the most creative carnival blocks performed at SESC de Madureira: the Bloco do Sargento Pimenta. Imagine the Beatles songs with a samba rhythm. And not only! At certain times, I didn’t know if I still was in Rio or if I was in the northeastern of the Brazil or if perhaps I went to Africa without knowing. Adding rhythms such as maracatu, reggae, funk and others, the groupies, the grandmothers, the children… enjoyed a lot. Bloco Sargento Pimenta, I Want Hold Your Hand throughout the Carnival!

 

Bloco do Thriller Elétrico

[PORTUGUÊS]

Agora para tudo, porque é a fã que vai falar. Cresci ouvindo as músicas do Michael Jackson em discos de vinil do meu pai, um amante de Jackson Five, inclusive. Eu, por minha vez, estendi minha afeição até mesmo aos 3T (os sobrinhos do Michael) e jurava que um dia me casaria com Tito Joe. Pois é. Eu era mais jovem, ok? Então, que felicidade a minha em descobrir um bloco dedicado ao repertório de Michael Jackson em ritmo de samba, baião, maracatu… Ah, vocês deveriam ter sentido as batidas de They Don’t Care About Us reverberando na pele; ou escutado o doce ritmo de Human Nature; ou visto a evolução de Smooth Criminal; ou dançado a famosa coreografia de Thriller. Eles reviveram I Want You Back, eles incorporaram Asa Branca no meio da música, eles… me fizeram dançar. Literalmente. O vocalista saiu do palco e veio dançar com a gente. No final das contas, aprendi que com o Bloco do Thriller Elétrico, criado no ano passado, não importa se você é Black or White, o importante é Don’t Stop ‘Til You Get Enough!


[ENGLISH]

Now the fan will talk. I grew up listening to Michael Jackson songs on my father’s vinyl. My father was also a Jackson Five fan and my affection also reached to the 3T (the Michael’s nephews). When younger, I swore that one day I’d marry Tito Joe. Yeah. So, how happy I was in finding a carnival block dedicated to the repertoire of Michael Jackson in Brazilian rhythms: samba, baião, maracatu. Oh, you should have felt the beats of They Don’t Care About Us reverberating in the skin; you should have listened to the sweet rhythm of Human Nature; you should have seen the evolution of Smooth Criminal; you should have danced the famous Thriller’s choreography. They revived I Want You Back, they incorporated Asa Branca (song and lyric in english) in the middle of the song, they… made ​​me dance. Literally. The vocalist left the stage and came to dance with us. At the end, I learned that with the Bloco Thriller Elétrico, created last year, no matter if you’re Black or White, the important thing is Don’t Stop ‘Til You Get Enough!

 

Inté,
Cri.

Antes dos 15 Minutos

Posted on novembro 28, 2013

Com o desfile programado para acontecer no dia 8 de novembro, Liliane, Susana, Lucas e tantos outros profissionais se uniram através de um laço emocional para resgatar no passado experiências que só reconhecemos seu devido valor depois que os anos passam. O desafio foi tentar mesclar isso com o que é hodierno, com a realidade atual… Uma realidade cosmopolita. A mulher que interage no mundo presente não deve nunca esquecer de viajar pelo seu passado na fazenda, voltar no tempo em que frequentava a escola. Eis a mensagem.E da inspiração deve vir a criação…

       Os convites chegaram. Sim, de fato fui convidada para o Fashion Rio! Um suspiro anestesiante de alívio por tê-los conseguido precede a “preocupação” com o que eu vou vestir. Apesar de ser claro para algumas pessoas, eu mesma não sei definir bem o meu estilo, até mesmo porque sei que o que eu penso e gosto hoje pode não corresponder ao que pensarei e gostarei amanhã, mas uma coisa é clara: sou uma amante da nostalgia.

… Entre propostas, rabiscos, croquis, mais ideias, mudanças, reparos, estilo e etc, o preppy, a alfaiataria e uma pitada de sportwear foram materializando a inspiração e ganhando forma através do tricô. Sim, com o tricô como base da marca,  a Coven mostra a riqueza daquilo que a minha falecida avó, lá no interior de Minas Gerais, tentou passar para suas netinhas assim como muitas outras avós. Apesar do trabalho não ser mais 100% manual, a inclusão de tecnologias para o atendimento em larga escala possibilita diversas técnicas. E elas foram usadas…

Amo meu vestido branco com duas fendas laterais, ele é tão minimalista e elegante. Mas foi o dourado da minha saia de pregas que reluziu em meus olhos. Um autêntico vintage de Walter Albini, portanto uma relíquia para mim. Para combinar, pensei na sandália de tiras, entre elas uma tira trançada e dourada, e uma pequena bolsa de mão que alterna suas cores entre o caramelo e… o dourado! Apesar da minha mente ter gritado para tomar cuidado com o brilho, eu a ignorei e adicionei minha recente aquisição: um blusa de lã acrílica com detalhes metálicos (estou tentando manter a coesão do texto e não repetir muito a palavra ‘dourado’, mas tenham em mente que o detalhe metálico que me refiro é ‘dourado’. Pronto, já falei ‘dourado’ duas vezes… três vezes!), que me custou apenas quarenta reais! Por cima, um jaqueta-não-tão-barata-assim-de-couro que acredito até hoje ser marrom avermelhado. Como toque especial o meu colar com motivos tribais.

… Surgiram listras de tamanhos diferenciados, risca de giz, xadrez, pesponto de cor diferente, aplicações brilhosas, que literalmente serviram de pano para golas rolê, saias de pregas a saias lápis, tubinhos, terninhos, casacos, jaqueta bomber, colete, barras desfiadas. Como cores principais: o azul-marinho, o cinza mescla, o nude, o vermelho e o amarelo. Como elemento que surpresa: o tricô trabalhado de tal modo que aparentasse jeans estonado e pele de vaca. Coleção de inverno 2014 pronta…

       – “Quem vai comigo?” – pensei. Não supus que seria difícil encontrar companhia para ir a uma semana de moda, mas foi neste momento que me dei conta de que eu era uma advogada. E como tal, seria difícil sim ter amigos íntimos que dispusessem de tempo ou pertencessem aquele universo fashion. Todavia, eis que surge um acalento: alguém me disse sim!

… A fazenda pode ser identificada na estampa de pele de vaca, nas sandálias rasteiras; o passado colegial veio através do estilo preppy, nos emblemas; e a mulher cosmopolitana representada na alfaiataria, no sportwear, nos lenços. Sim, tudo pronto. Então, foi o momento de entrar em ação a equipe selecionada para cuidar do styling, da beleza, da direção de desfile e da trilha, além dos modelos e outros profissionais que trabalharam tanto quanto ou até mais nas cenas atrás dos holofotes. Araras e mais araras de roupas chegaram na sala 2 – no Pier Mauá, onde terminavam de preparar uma esguia passarela listrada em preto, azul e branco. Enquanto isso, as modelos foram sendo maquiadas, vestidas e…

Voltei do salão com as unhas vermelhas, um vermelho mais alaranjado que me é muito familiar, uma cor amiga para me acompanhar. Entre os preparos de última hora, eis que o ‘sim’ acalentador se transforma em um ‘não vou poder mais ir contigo’. Uma pena ter um convite sobrando, mas… No caminho para o Fashion Rio, encontro uma pessoa bem estilosa. Ele passa por mim e como num clique, nos olhamos e dissemos um ao outro quase que simultaneamente: “Fashion Rio?” E foi assim que ganhei uma nova companhia e um novo amigo, cuja mãe é advogada e se chama… CRISTIANE! Seria uma coincidência? Como foi inusitado encontrá-lo assim! E através dele encontrei o Diego, que me convidou para ser colaboradora em seu site Acho Fashion. Mas isso é outra história, o desfile vai começar.


[ENGLISH] With the fashion show scheduled to take place on November 8, Liliane, Susana and Lucas tried to recover the past experiences, that we only know the value after the years go by, to merge it with the current reality… A cosmopolitan reality. The woman who interacts in this world shouldn’t forget her past on the farm, in the days when attending school. This is the message. And from the inspiration must come the creation…

The invitations arrived. Yes, in fact I was invited to the Fashion Rio! A numbing sigh of relief to have achieved them precedes the “concern” with what I’ll wear. Although it is clear to some people, I can’t define my style as well, even because I know what I like and I think today may not match with what I will like and think tomorrow, but one thing is clear: I’m a nostalgia lover.

… Among doodles, sketches, more ideas, changes, repairs and etc., the preppy style, the tailoring and a hint of sportwear were materializing the inspiration and taking shape through the knitting. Yes, with the knitting as a foundation of the brand, Coven shows the richness of what my late grandmother, there in Minas Gerais, tried to teach to her granddaughters, as well as many other grandparents. Although the work is not over 100% handmade, the inclusion of technologies to meet large-scale allows several techniques. And such techniques were used…

I love my white dress with slits on the sides, it is so minimalist and elegant. But it was my golden pleated skirt that glittered in my eyes. An authentic vintage Walter Albini, therefore a relic to me. To pair with, I thought the strappy sandal with a braided golden strap and a small handbag that toggles between the caramel color and… the gold! Despite my mind have yelled to beware the shine, I ignored it and added my recent purchase: an acrylic woolen blouse with metallic accents (I’m trying to keep the cohesion of the text and don’t repeat the word golden, but take in mind that the metallic detail which I refer is golden. Okay, I said golden twice… three times!), wich costed me just $ 17.00! Over a not that cheap jacket. And as a special touch my necklace with tribal motifs.

… Stripes of different sizes, pinstripe, plaid, backstitch with different color, bejeweled details served as cloth to turtleneck pullovers, pleated and pencil skirts, tube dresses, suits, bomber jacket, vest, shredded hems. As main colors: navy blue, gray, nude, red and yellow. As a surprise element: the use of techniques that transformed the knitting in acid jeans and cowhide. Collection Winter 2014 ready…

       – “Who’s with me?” – I thought. I didn’t assume that it would be difficult to find company to go to a fashion week, but it was in that moment that I realized that I was… a lawyer! And as such, it would be rather difficult to have close friends who would have time or would belong to the fashion universe. However, here came a consolation: somebody accepted my invitation!

… The farm can be identified in the cowhide print and the flat sandals, the past as student came through the preppy style and the cosmopolitan woman can be identified in the tailoring, in the sportwear, in the scarfs. Yes, all ready. Then it was time to action to the team selected to care for the styling, the beauty, the direction of the fashion show and the soundstyling, beyond the models and the other professionals who work as much or even more behind the scenes. More and more clothes rack arrived in the room 2 – at Pier Maua, where they finished preparing a black, blue and white striped catwalk. Meanwhile, the models were being prepaired and…

I returned from the hairdresser. Among the last-minute preparations, behold the “yes” turns into a “I can’t fo with you anymore”. A shame to have an invite lefting, but… On the way to the Fashion Rio, I found a stylish person. He passed me and as a click, we looked to each other and asked almost simultaneously: “Fashion Rio?” And so it was that I gained a new company and a new friend, whose mother is a lawyer and is called… CRISTIANE! Would it be a coincidence? How unusual to find him so! And through him I met Diego, who invited me to be a colaborator in his site Acho Fashion. But that is another story, the fashion show will begin.

       … E tudo passa tão rápido.

… And all goes by so fast.

Images from FFW

Inté,
Cri.

Bazar Noir

Posted on setembro 24, 2013

[I also write in english! Yaaay]

JÁ NOS PERGUNTARAM SE AQUILO [AS ROUPAS DO ESTANDE] ERAM MESMO PARA VENDER.
They have ever asked to us if that thing [the clothes] would really be sold.

ESTILO NÃO É UMA QUESTÃO DA SOCIEDADE PARA COM AS PESSOAS E SIM DA PESSOA COM ELA PRÓPRIA.
Style is not a question from the society towards the people but from the person to herself.

O QUE INCOMODA A SOCIEDADE É A PESSOA ESTAR FORA DOS PADRÕES, MAS ESTAR BEM CONSIGO MESMA.
What bothers the society is a non standard person being comfortable with herself.

FIZ DREADS REMOVÍVEIS. EU POSSO TIRAR PARA IR TRABALHAR.
I’ve made removable dreads so I can take out to go to work.

JÁ FUI XINGADA NA RUA.
I have ever been insulted in the street.

[PORTUGUÊS]

Você me respeitaria se eu me vestisse diferente de você ou se eu pensasse diferente? Sim? Certeza? Você menosprezaria meus conhecimentos por eu ter ideias e ideais fora do padrão? Não? Certeza? Qual é o limite do teu respeito? Deborah, Naína, Monique, Marcos, Leila, Mariana e Paola. Pessoas com vidas diferentes unidas por um simples fato: todas estão assumindo a doçura e a agrura de serem elas mesmas. Este, meus amigos, é um convite para vocês abrirem as suas mentes.

Domingo, dia 15/09 – mais uma edição do Bazar Noir aconteceu na Lapa.

O que é o Bazar Noir? É um evento que concentra grifes voltadas para a moda alternativa. Com desfiles, shows de bandas underground, DJ’s que tocam músicas interessantes, o Bazar Noir existe há mais de seis anos. E a cada edição deste evento, um tema é escolhido. Desta vez foi PIN UP! Lá, outra coisa interessante aconteceu. Nesta edição, o que me chamou a atenção foram as pessoas que fazem o evento ser tão inclusivo. Vejam se estou certa.

No agitado camarim, aguardando o desfile, estava a maquiadora do evento DEBORAH LOBO. Ao comprar em brechós e não só, ela sempre agrega elementos do estilo pin up ao seu vestuário do dia a dia. Atitude no modo de se vestir, atitude no modo de pensar. Com sua capacidade de discorrer inteligentemente sobre a evolução na mentalidade da sociedade, sobre a posição da mulher na mídia, da feminilidade libertadora de uma pin up, Deborah desmistifica premissas preconceituosas sobre a frivolidade de profissionais da área de moda e da área de beleza, dando um novo sentido ao “ser uma pessoa consciente e pensante”.

Ao lado da Deborah, estava a NAÍNA MONSORES, que já tinha atraído os meus olhares para os seus cabelos coloridos e o seu undercut. Pensei comigo que ela deveria ter um acontecimento interessante para relatar. Eu me enganei. Ela teve vários! Aos 22 anos, Naína já sabe bem o quanto a sociedade pode ser preconceituosa. Perto de casa, talvez pela vizinhança religiosa que possui, sente-se incomodada com os olhares voltados para ela toda vez que passa. Na rua, já foi insultada pelo simples ato de acharem divertido zombar de alguém com visual diferente. No salão onde trabalha como cabeleireira, clientes já se recusaram a serem atendidas por ela. E olha que eu pensava que na área de beleza as pessoas costumavam ter mais abertura mental para os visuais alternativos! Mas não, Naína contou que já viu até mesmo um profissional ter que mudar de cabelo para trabalhar em um salão. Minha heroína da resistência!

Sabem o que proponho agora?

 

Uma pausa! Uma pausa musical. Na verdade, proponho um jogo para aqueles que não a conhecem. Pelas fotos que já mostrei até agora, vocês seriam capazes de reconhecer a vocalista da banda Bloody Mary & The Munsters?

 

      Quando virei para o lado me deparei com os belos dreads de MONIQUE MARK, que tem um longo histórico de mudança estilos de cabelo, cores e tamanhos. Ainda que com a dificuldade de aceitação de seu estilo por parte de seus familiares, Monique sempre foi dando um jeito de driblar os empecilhos. Ela contou que já esperou a mãe dormir para furar a orelha e que já fez tatuagem escondida. Sim, a maioria dos pais sonham um estereótipo para seus filhos, o que é perfeitamente normal. E Monique me provou que, apesar disto, não podemos deixar de ser quem somos, não podemos abdicar de nossa personalidade. Monique me provou que, com jeitinho, vamos chegando onde queremos. Hoje em dia ela leva esta sua capacidade de amoldar a sua vida de acordo sua personalidade para onde vai, inclusive para o trabalho! Ela não pode pintar o cabelo de roxo para trabalhar como secretária da diretora da Vigilância Sanitária, mas nem por isso deixou de encontrar outro modo de ser como ela quer: seus dreads removíveis que o digam.

Sai do camarim um pouco e quem encontro ali em frente? Na edição passada do Bazar Noir, comentei sobre os padeiros que fazem pães finos exóticos e são donos do Portal INK: MARCOS MIRANDA E PEDRO LUDOLF. Praticamente super heróis: pães de dia e super artistas a noite. Pois bem, encontrei o Marcos! Nós conversamos sobre o quanto ainda é ruim ser negro, gordo e homossexual no Brasil. Marcos, um plus size alto com um sorriso lindo, desfilou com uma camiseta com os seguintes dizeres: Anorexican Fashion Weak! Adorei! Parabéns aos criadores da camisa, parabéns por escolherem o Marcos. Com uma crítica fundamentada, ele ressaltou: “48% das mulheres e mais de 50% dos homens estão acima do peso. É um mercado que não pode mais ser ignorado”. Ah, eu poderia conversar com o Marcos durante horas, porque sabemos o quanto se tem para falar quando o assunto é moda plus size.

Após o desfile, já andando pelo evento, encontrei o estande das meninas LEILA MÜLLER, MARIANA OLIVEIRA e PAOLA ZUCCARI, as donas do Megazine Vintage, uma loja que vende roupas e acessórios do acervo pin up. Elas vendem até mesmo anáguas! Isso para mim é um máximo, mas nem todos veem assim. No show em tributo ao Elvis e aos Beatles realizado no Clube Naval de Niterói, perguntaram se as roupas do estande eram mesmo para serem vendidas. Oi? Apesar do contratempos, se você pensa que elas são só rostinhos bonitos vestidas com estilo de pin up estão enganados! Elas sabem do assunto: conversamos sobre a origem do termo pin up, sobre o feminismo x pin up – feminilidade e alguns fatos curiosos que renderiam um post à parte. Quer mais? Só indo ao show de Mariana na banda Bloody Mary and the Munsters! 😉

Bem, histórias interessantes que só enfatizam para mim que o importante não é a aceitação da sociedade, mas sim o respeito. É por isto que escolho terminar mais uma vez com a frase de Claudia, da loja Lilica Bolsas, sobre a caveira Josephyna: Ela é o símbolo de igualdade, porque todos nós viraremos uma, não importa a cor, raça, religião… Lindo, não?


[ENGLISH]

Would you respect me if I dressed different or if I thought differently from you? Yes? Sure? Would you despise my knowledge if I had nonstandard ideas and ideals? No? Really? What is the limit of your respect? Deborah, Naina, Monique, Mark, Leila, Mariana and Paola. People with different lives, together by one simple fact: all are assuming the sweetness and bitterness of being themselves. This, my friends, is an invitation to open your minds.

Sunday, September 15  – another edition of Bazar Noir happened in Lapa, Rio de Janeiro – Brazil.

What is the Bazar Noir? It is an event focused in brands aimed at the alternative fashion. With fashion shows, concerts with underground bands, djs who play interesting music, the Bazar Noir exists for more than six years. And in every edition of this event, a theme is chosen. At this time the theme was PIN UP! There, another interesting thing happened. In this edition, what caught my attention were the people who make the event to be as inclusive. See if I’m right.

In the busy dressing-room, waiting for the fashion show, was the makeup artist DEBORAH LOBO. By shopping at thrift stores and not only, she always adds elements of the pin up style in her everyday apparel. Attitude in the mode of dressing, attitude in the way of thinking. With her ability to discuss intelligently on developments in the mindset of society, the position of the women in the media, the liberating femininity of a pin up, Deborah demystifies prejudiced assumptions about the frivolity of professionals in the fashion/beauty area, giving a new meaning to “being a conscious and thinking person”.

Beside Deborah, there was NAÍNA MONSORES, who had attracted my eyes to their colored hair and her undercut. I thought to myself that she should have an interesting event to report. I was wrong. She had several! At 22 years old, Naína knows well how the society can be prejudiced. Closer to home, perhaps because her religious neighborhood, she feels uncomfortable with the stares directed at her every time she walk around. On the street, she has been insulted because some nonsense persons finds funny to mock someone with a different visual. In the beauty salon where she works as a hairdresser, some customers have ever refused to be served by it. And I thought in the field of beauty, people used to have more mental openness to a alternative visual! But no, Naina said she has seen even a professional having to change the hair to work in a beauty salon. My hero of the resistance!

Do you know what I propose now?

 

A break! A musical break. In fact, I propose a game for those who don’t know her. From the pictures that I’ve shown so far, would you be able to recognize the lead singer of the band Bloody Mary & The Munsters in THIS VIDEO?

 

       When I turned to the side I came across the beautiful dreads of the MONIQUE MARK, who has a long history of changing hair styles, colors and sizes. Although the difficulty of acceptance of her style by her family, Monique has always been giving a way to get around the obstacles. She said she had ever pierced her ears after her mother slept and had ever made a tattoo hidden from her parents. Yes, most parents dream of a stereotype for their sun/daughter, which is perfectly normal. And Monique proved to me that, despite this, we can’t abdicate our personalities. Monique proved to me that, nicely, we can arrive where we want to go. Nowadays she takes this ability to conform the life according to your personality wherever she goes, even to work! She couldn’t dye her hair purple to work, but she found another way to be what she wants: her dreads removable will say that.

Out of the dressing room a bit and who did I in front of the door? In the last edition of Bazar Noir, I commented on the bakers who make fine and exotic breads and also own the store Portal INK: MARCOS MIRANDA AND PEDRO LUDOLF. Superheroes indeed: bread at day and super artists at night. Well, I found Marcos! We talked about how bad still is to be black, fat and gay in Brazil. Marcos, a tall plus size with a beautiful smile, walked the runway with a shirt with the following words: Anorexican Fashion Weak! Loved it! Congratulations to the creators of the shirt, congratulations for choosing Marcos. With a reasoned criticism, he said: “48% of the women and over 50% of the men are overweight. It is a market that can no longer be ignored”. Oh, I could talk to Marcos for hours, because we know how much we have to talk about when it comes to the plus size fashion.

After the fashion show, I found the booth of the girls LEILA MÜLLER, MARIANA OLIVEIRA and PAOLA ZUCCARI, the owners of the Megazine Vintage, a store that sells clothing and accessories inspired in the pin up style. They even sell petticoats! This sounds good to me, but not everyone sees that. At the show in tribute to Elvis and the Beatles held at Clube Naval Charitas – Niterói, some persons asked if the clothes in the booth were really to be sold. What? Despite the setbacks, if you think they are just pretty faces dressed in pin up style, you are mistaken! They know deeply about the pin up subject: we talked about the origin of the term pin up, about feminism x pin up x femininity and some curious facts which would yield a post apart. Do you want more? Then, go to the show of the Mariana’s band, the Bloody Mary and the Munsters! 😉

Well, interesting stories that only emphasize that the important thing is not the acceptance of society, but the respect. This is why I choose to conclude again with I heard from Claudia, owner of the Lilica Bolsas, about the skull Josephyna: she is the symbol of equality because everyone will turn one, don’t matter the color, race, religion… Beautiful, isn’t ?

 

      [POR] Deixo o meu agradecimento a minha linda cunhadinha Camila Reis, a dona da Lady Candy, que me chamou para desfilar para a marca dela, o que foi/é/sempre será excitante! Dentre a variedade de poás, babados, lacinhos, cores e muita fofura, Lady Candy é uma marca especializada no vestuário pin up! Vale a pena conferir! Ah, a Camila está criando um blog, então fiquemos atentos!

[ING] I thank to my beautiful sister-in-law (I have a friend-brother) Camila Reis, the owner of the store Lady Candy, who called me to model to her, what was / is / will always be exciting! Among the variety of polka dots, ruffles, bows, colors and lots of cuteness, Lady Candy is a brand specializing in pin up clothing! Worth checking out! Oh, Camilla is creating a blog, so stay tuned!

Fotos por Franz Borborema, Camila Reis e por mim.

 

      [POR] Vocês se lembram da Jasmim Manga? Fiquei apaixonada pelo efeito da iluminação no estande deles! E é claro pela coleção nova! Eduardo não voltou mesmo para a faculdade para continuar fazendo o que gosta ao lado da brilhante Moana! Ainda na lista de meus heróis!

[ING] Do you remember the store Jasmim Manga? I was fascinated with the effect of lighting in their booth! And of course the new collection! Eduardo does not even returned to college to continue doing what he loves to do on the side of the brilliant illustrator Moana! Still on the heroes list!

 

Muito obrigada aos que gentilmente pararam para conversar comigo, para a sempre fofa Letícia e para a organizadora do evento Vanessa! Beijos a abraços para os que conheci através do evento, os que mantenho contato no Face (está rolando muita coisa interessante por lá) e para os que ainda hei de conhecer. Até a próxima!

– Cri.

Un Altro Tempo: Tra Decadentismo e Modern Style

Posted on maio 20, 2013

Como já sabemos, um desfile não é feito só com roupas ou música ou iluminação ou etc. Uma história é contada. Antônio Marras não foi o primeiro a trazer a História como sua aliada na passarela, mas com certeza foi um que me fez sentir um tipo de “complexo da era dourada” ao ver sua coleção outono inverno 2013-2014. E não só. Antes disto, Signore Marras, com a curadoria de Paolo Bazzani, idealizou uma mostra, que também leva o nome do livro de Lea Vergine, qual seja: Un Altro Tempo: Tra Decadentismo e Modern Style. E foi no Museo d’Arte Moderna e Contemporanea di Trento e Rovereto que se pode entrar, através de uma porta adornada, em um outro tempo, mais precisamente na casa de Bloomsbury. Lá, o visitante pode imaginar um grupo de intelectuais, artistas, filósofos, escritores que se reuniam para discutir sobre literatura, estética, economia, feminismo, pacifismo, sexualidade em uma elegante área residencial desenvolvida nos séculos 17 e 18 com belíssimos e extensos jardins… Eles não só se reuniam, mas também viviam, trabalhavam e estudavam ali. A mostra ‘Um Outro Tempo’ se refere a este “Grupo” de Bloomsbury. E foi assim que, com perspectiva entre o Decadentismo e o estilo moderno, Antonio Marras “pintou” em sua coleção uma parcela da História usando mix dos tecidos drapeados, tweed masculino e áspero, riscas, misturas de tapeçaria jacquard em veludo devorê, sarja de seda, cetim de algodão, renda chantilly, cristais Swarovski, tricô com efeito dourado. Um convite a um outro tempo. É diferente assistir a um desfile sabendo da história por trás, não é?


As we already know, a fashion show is not just about clothes or music or lighting or etc. The clothes can tell a history. Antonio Marras was not the first to bring history to the catwalk, but certainly he was one who made ​​me feel a kind of “golden age complex” when I watched his autumn-winter 2013-2014 collection. And not only. Before that, signore Marras, curated by Paolo Bazzani, devised the exhibition, which also has the name of the Lea Vergine’s book: Un Altro Tempo: Tra Decadentism e Modern Style.And it was at the Museo d’Arte Moderna e Contemporanea di Trento e Rovereto that we could get into another time through a door adorned, more precisely in the Bloomsbury’s house. There, the visitor could imagine a group of intellectuals, artists, philosophers, writers who gathered to discuss about literature, aesthetics, economics, feminism, pacifism, sexuality into an elegant residential area developed in the 17th and 18th centuries with beautiful and extensive gardens… They also lived, worked and studied there. The exhibit ‘Another Time’ refers to the “Bloomsbury’s group”. And so, with the perspective between the decadentism and the modern style, Antonio Marras “painted” in his collection a part of the history by using mix of drapery fabrics, male and rough tweed, stripes, jacquard tapestry in devore velvet, twill silk, cotton satin, lace, Swarovski crystals, knit with golden effect. Well, an invitation to another time. It’s different watching a fashion show knowing the history behind it, isn’t it?


Photos taken from Paolo Bazzani Studio, Pinterest and google image.

What I Felt When I Received The Beautiful Blogger Award

Posted on março 12, 2013

Hahahahaha Não pude me conter! Tive que usar comercial para expressar como me sinto quando recebo um prêmio carinhoso como este! Eu me lembro bem das vezes que recebi um prêmio, indiquei outros blogs e as blogueiras me ignoraram completamente, sequer me agradeceram… Ai, uma atitude completamente deselegante e desnecessária que me fez ficar indignada e até triste. Acho que quando alguém te oferece um gesto de carinho, o que é completamente difícil de acontecer hoje em dia, é uma honra recebê-lo com todo amor, não importa se o tal gesto veio de preto, branco, moderno, clássico, pobre, rico, religioso, ateu, famoso, desconhecido… Enfim, eu agradeço imensamente por este prêmio que não mereço a Natalie Eastmond, blogueira do Radical Trendsetters, por este prêmio que não mereço e o ofereço a todas as blogueiras iniciantes ou experientes, que postam fotos e/ou escrevem, que possuem blogs de moda, arte, design, música, filmes e outros assuntos. Parabéns a todas nós!


Hahahahaha I couldn’t stop me! I had to use this commercial to express how I feel when I get an affectionate award like this! I remember well every time, in the past, that I awarded other blogs and bloggers ignored me completely… Ouch, an attitude completely inelegant and unnecessary that made ​​me sad and even angry. I think when someone offers you a gesture of affection, which is quite difficult to happen today, it is an honor to welcome it with all love, no matter if the gesture came from a black, white, modern, classic, poor, rich, religious, atheist, famous, unknown… Anyway, I appreciate immensely to my dear Natalie Eastmond, blogger from the Radical Trendsetters, for the award that I don’t deserve and I offer it to all beginners or experienced bloggers, who post pictures and/or write, who own blogs about fashion, art, design, music, movie or other issues. Congratulations to all of us!

– Cri.