[POR] Estive falando aqui no blog sobre alguns dos pontos fracos do sistema fast fashion. Isto mexeu comigo a tal ponto que pensei: vou virar um monge e praticar o desapego!  Ok, não foi exatamente assim, mas comecei a questionar sobre o que era, na minha opinião, comprável. Seriam as roupas caras? Bom, quando compramos uma roupa de grife recebemos algo de alta qualidade que durará anos e não precisaremos nos preocupar em consumir exacerbadamente, porque quem tem algo bom nas mãos deve ou deveria fazer um excelente uso daquilo nas mais variadas combinações, certo? Mas precisamos sempre pagar um preço alto pela qualidade e assim fazer um bom uso? Honestamente, nem sempre! Vocês diriam que, com um olhar clínico, não conseguiríamos adquirir coisas boas por preços bons dentro de uma loja de departamento? Eu diria que sim! Foi o que aconteceu comigo, acredito eu.

Apesar da minha resistência a terninhos (não me perguntem o motivo), queria um em tecido com efeito brocado. Encontrei: um branco na Renner e um vermelho na Folic. Renner ou Folic? Renner ou Folic. Renner ou Folic . . .  Foi neste momento que percebi o quanto tinha me afetado falar sobre o sistema fast fashion e a minha tendência a não comprar nada além de roupas bem selecionadas e de boa qualidade. Mas, Cri, o teu óculos (da Vogue) quebrou tão rápido não foi! Então, não importa a marca mas quanto a qualidade do objeto aliado a como você a usa! (Ouviram isto? Deixem pra lá, pensei ter escutado minha avó sussurrar do túmulo – Deus a tenha em paz – que panela velha é que faz comida boa!).  Ora, ora, ora, o terninho branco da minha velha Renner não deixou a desejar perante o da Folic. Folic ou Renner? Escolherei Renner quando achar bom ou Folic quando me aprouver, porque em termos de estilo preço é irrelevante para quem tem personalidade. Então, enquanto não vou para Tibet, continuarei tentando me descobrir. . .  a qualquer preço.


[ING] I’ve been talking about about some of the weaknesses of the system fast fashion. This moved me so much that I thought: I will become a monk and I’ll practice the detachment! Ok, it was not exactly like that, but I began to question what was, in my opinion, buyable. Are the expensive clothes? Well, when we buy a designer clothing, we receive something of high quality that will last for years and we won’t need to worry about consuming exaggeratedly, because who has something really good should make excellent use of it in various combinations, right? But we must always pay a high price for the quality and so make good use of it? Honestly, not always! Would you say that, with a clinical perspective, we couldn’t buy nice things for good prices in a department store? I would say yes! That’s what happened to me, I believe.

Despite my resistance to the pantsuits (don’t ask me why), I wanted one in brocade effect fabric. I found: one white in Renner (a brazilian departament store) and one red in Folic. Renner or Folic? Renner or Folic. Renner or Folic. . . It was then that I realized how much it had affected me talk about fast fashion system and my tend in not buying any thing, but well selected and good quality clothes. “But Cri, your (Vogue) glasses was broke so fast! So, don’t matter the brand, it is all about the quality of the object plus how you use it!” (Did you hear that? Let it go, I thought I heard a my grandmother in her grave whispering – God rest her soul in peace – that old pot is what makes food good!). Well, well, well, the white pantsuit from my old Renner didn’t leave nothing to be desired to the Folic. Folic or Renner? I will choose Renner, when I feel good or Folic when I please, because, in terms of style, the price is irrelevant to those who have personality. So while I’m not going to Tibet, I will continue trying to find me. . . at any price, whatever the cost.

♣ EU VESTI / I WORE:  Renner Pantsuit & Bag; Tessera Shirt; Santa Lolla Shoes;

 MÚSICA: Dirty Orchestra – Black Violin

♣ LOCAL / PLACE: Praça da Ancora, Baia de Guanabara- Rio de Janeiro.

 

– Cri.