bloglovin

Top: from a store in Petrópolis, RJ (BR) / Skirt: Riachuelo (BR)/ Belt: Victor Hugo (BR)

[POR]

Nos primeiros períodos da faculdade de Direito, aprendemos a analisar o comportamento humano. Tem livros que nos ensinam a constatar quando uma pessoa está mentindo ou não (sou perigosa hein! hahahahah). Hoje, por completa falta de ter o que fazer, resolvi analisar uma mulher no metrô. Ela, com sua despretensiosa calça jeans, vestiu uma camisa branca amassada. O amasso da camisa não era um daqueles normais de quando sentamos e nos encostamos na cadeira. Hum… Calça jeans é a primeira opção quando não queremos pensar muito no visual e a camisa amassada denota uma total falta de tempo e/ou interesse de se produzir. Ela estava com problemas. Os cabelos escuros, ainda que lisos, aparentavam desleixo nas leves ondas embaraçadas sim! Talvez tenha ventado muito, pensei. Não, hoje o dia não tinha muito vento! Calor sim, vento não! Talvez ela tenha girado diversas vezes o cabelo com suas mãos, pensei. Hum… o que leva uma pessoa passar as mãos no cabelo tantas vezes? Nervosismo? Impaciência? Timidez? Aquela mulher sentia algo forte naquele momento. Ela suspirou profundamente. Os olhos se dirigiram a janela, ao meu ver. Ao seu ver, ela olhava para o nada. Ela está pensativa, pensei. Ela está triste, pensei. Neste momento, acabei por me distrair com a porta que se abrira, entrando diversas pessoas que pararam entre aquela mulher e eu, bloqueando a minha visão. Não totalmente, porque em alguns momentos eu conseguia fitá-la. Uma lágrima escorreu. Sim, ela estava muito triste para chorar publicamente. É estranho como nossas roupas enviam uma mensagem sobre o que estamos sentindo no momento, sem antes mesmo abrirmos a nossa boca. Espero encontrá-la novamente com um belo vestido florido. E você? O que a tua roupa tem dito sobre você?

 
 

[ING]

In the early periods of the law school, I learn to analyze the human behavior. There are books that teach us to see when a person is lying or not (I’m dangerous huh! Hahahahah). Today, for a complete lack of something to do, I decided to examine a woman on the subway. She, with her unassuming jeans, wore a wrinkled white shirt. The kneading of the shirt was not one of those normal kneading when we sat down and lean back in the chair. Hmm… Jeans is the first choice when we do not want to think so much about the outift and the very wrinkled shirt shows a total lack of time and/or interest to dress up. She was in trouble. The straight dark hair looked sloppy in the embarrassed light waves! Maybe the wind was strong, I tought. No, today the day wasn’t windy! Oh-so-warm yes, no windy! Maybe she turned several times the hair with her hands, I thought. Hmm… Which leads a person to do it so often? Nervousness? Impatience? Shyness? That woman was feeling something strong. She sighed deeply. Her eyes looked at the window, in my view. In her view, she looked at nothing. She is thoughtful, she is sad, I tought. In that moment, I ended up distracted by the door that opened, several people stopped between that woman and me, blocking my view. Not entirely, because at times I could look at her. A tear trickled down. Yes, she was very sad to cry publicly. It is strange how our clothes send a message about what we are feeling at the moment without even before we open our mouth. I hope to find her again with a beautiful flowered dress. And whar about you? What your clothes are telling about you?

– Cri.