Dedico este post a minha amiga-irmã, Silvane! Ao ver essas fotos, Sil, penso no quão você é bonita sem precisar atender os parâmetros da mídia! Os traços do teu rosto, o contorno, o nariz pequeno, os olhos meio que puxados… você é linda! Te amo.

Ok, vi em alguns blogs posts sobre a Vogue italiana deste mês, mais especificamente o artigo que fala das modelos plus size. Bom, isso não é nenhuma grande sacada se recordarmos que na Semana Fashion de Milão, Elena Mirò trouxe o retrô acompanhado de modelos curvilíneas para a passarela, mostrando com maestria o a sua proposta para o inverno italiano 2011-2012. Contudo, mês passado a revista falou sobre a beleza negra (e ainda continuo sem saber se ter Vogue Black é muito bom ou estranhamente ruim) e agora este mês vem as plus size… Pode não ser novidade, mas é admirável!!!!!! E a revista vem ainda com matérias sobre pintores de mulheres encorpadas. Como o reclame da pintura é de conotação nudista realista (kkkkk adoro os meus eufemismos), resolvi compartilhar as lindas obras do ilustrador Duane Bryers, que começou a desenhar desde os cinco anos os seus próprios quadrinhos, já que em Virgínia, Minnesota, onde nasceu, essa era a a única diversão. Em 1936, ele pintou um enorme mural para a escola de Minnesota, retratando a história da indústria de mineração da área, que se tornou um tipo de tesouro histórico daquele lugar e rendeu ao Duane a oportunidade de estudar na Art Students League em Nova York com todas as despesas pagas. Lá, o sucesso não veio rapidamente como esperado, mas ganhou o concurso de cartazes do Museu de Artes Modernas. Mais tarde, ele serviu as Forças Aéreas, durante o período de 1943 a 1946, período em que criou a história em quadrinhos chamada Corky para o jornal da base e se tornou um renomado e sindicalizado artista comercial. Após sair do serviço militar, Duane viveu durante um tempo como artista comercial até se mudar para Tucson no Arizona, onde se interessou por pinturas do ocidente. Esse interesse rendeu a Duane prêmios e reconhecimento internacional. Uma de suas obras que mais teve repercussão no mundo artístico, foi HILDA, uma ilustração divertida e bem expressiva feita em aquarela criada em 1958. Duane Bryers não teve uma modelo da vida real no qual se baseou para criar as diversas poses da formosa Hilda… e isso é impressionante! Este amável artista de 94 anos ganhou meu coração, espero que ganhem os de vocês também. Confiram algumas ilustrações da silhueta voluptuosamente sexy da graciosa Hilda (basta clicar nas fotos para aumentá-las):

Duane Bryers e Hilda

Vocês ainda podem checar a entrevista de Duane Bryers ao Toil Girls aqui.

bloglovin