Oi gente! Não me esqueci do terceiro dia de desfile, aprendamos juntos:

MOSCHINO – Vejo que a maison não abandonou o conceito marítimo. Mas desta vez o ponto de vista foi do alto, foi de extrema elegância. Aqui se sai do estilo ‘marinheiro chic’ e se parte para o estilo ‘mulheres em um cruzeiro’! Acho que estou encantada, sem conseguir descrever a beleza dos tecidos, dos cortes, das combinações. Sou uma entusiasta sequin e, por isso, também gosto dos tecidos luminosos, laminados, dourados, prateados… chamem como quiser! Este é um desfile que não basta exprimir com palavras, merece ser visto!

ANTONIO MARRAS – Será mesmo que Amélia era mulher de verdade? O conceito é o da mulher de outrora, a dona-de-casa e mulher religiosa! Porém… sono una donna, non sono una santa (sou uma mulher, não sou uma santa)! Entre, tailleur listrado, vestidos plissados, saias de seda e tanta seriedade e sobriedade, encontramos lábios vermelhos, transparência, renda foi um desfile sereno.

LES COPAINS – No desfile, a malharia vem privilegiada: casacos de gola, maxi cardigans, vestidos (o de trapézio é lindo), pullover. Para combinar, nada de jeans, te servirá tecidos finos, delicados! Os detalhes também são belos: as bolsas, as franjas, os sapatos de ponta fina com meias e o cintos finos de lacinho.

ETRO – Se trata de uma guerreira chic, cuja recompensa é a qualidade dos tecidos, mesmo quando aludem a tapeçaria e mesmo quando rústicos. Mais tecidos luminosos, mais pelos, franjas. O que tem de diverso? Exatamente a estampa e a bela combinação de roupas. Adorei o casaco cujo corpo é de um tecido e as mangas são de outro.

GIANFRANCO FERRè – Bege, dourado, cinza, preto cintilante, azul marinho e branco em cortes sucintos (no sentido de serem retos, sem firoulas)… Parece minimalismo? Nem tanto! Tem um entre os tecidos, uma brincadeira entre o opaco e o brilhoso que de simples nada possui.

MASSIMO REBECCHI – Para quebrar a monotonia da falta de cor, acessórios como ponto de luz! Gostei! Mas o desfile passa distante da monotonia. Atenção para a estampa pied-de-poule (sempre presente no inverno) mas em versão sequin!!! Magnífico! Adorei a combinação da calça com estampa marrom e da blusa vermelha! O desfile vem assim: sutileza e beleza! A-MO!

BLUMARINE – O que pensam de um trench coat com uma bota preta cano super alto? Powerfull, isn’t it? Ainda que fosse casaqueto e saia ou um sobretudo ou um vestido, tudo me lembrou o trench coat com a bota. Porém, a monotonia foi quebrada com peças super coloridas (mas que ainda sim me faziam lembrar do conjunto trench e bota).

C’N’C COSTUME NATIONAL – O desfile mostra coisas que tenho gostado: mini capas (já viram as novas camisas fofas com uma mini capa?), vestidos trapézio, cores (ok… cores em meio ao mar de roupas pretas, o que devemos ter cautela), jaquetas de couro, calça de couro e uma transparência que não revela tanto. A maison brinca com o grafismo e a sobreposição sem parecer forçada. Linda!

AIGNER – ADOREI! Elegante discrição. Até a saia de couro é simples e elegante! Até o casaco de pelos, sempre presente nos desfiles anteriores, se torna um elemento de pura elegância. Com ankle boots, cós alto, meias-calça grossas em cores invernais, bolsas vermelhas ou com estampas de animal, veludo, blazer vermelho, pantalonas, blusas bem soltas e cabelos ondulados e grandes a maison me conquistou!

VERSACE – Donatella viu um inverno sexy com vestido de um ombro só ou sem mangas e ainda com fendas e belos decotes. Ao mesmo tempo, elaborou casacos super trabalhados em seus detalhes, saia de couro com volume e casacos com gola. Mas o que me conquistou foram as botas com cadarço colorido que não são de cano alto e nem na altura do tornozelo, são de uma altura justa.

GABRIELE COLANGELO – O detalhe (dourado, plumas, fenda) das roupas fez a diferença. Os sapatos eram os mais sóbrios, porque as roupas eram o destaque. Gostei do tom sobre tom e da sobreposição de tecidos das saias, vestidos e casacos.

 

Os desfiles nos ensinam muito! Bem certo que o frio no Brasil não nos possibilita vestir determinadas coisas, mas algumas sim. Tenho um conselho: se for comprar um trench coat, pense em adquirir um modelo cuja parte inferior parece ser uma saia. Acho lindo e jovial.

 

Beijinhos, °ღ•ѕσяяιη∂σ ѕємρяє°ღ.

bloglovin